Vida em planetas de 4a dimensão – 3/3

Transcrição

Vida em planetas de 4ª dimensão

Mensagem espiritual gravada em Portugal – parte 3

Nunca vos deixeis levar por aparências. Vocês já não pertencem à civilização terrestre de superfície e este é o ponto que vos permitirá dissolver os últimos laços mentais, emocionais, que vos prendem ao plano psíquico mental de civilização cessante. O que é uma civilização? Para que serve? Qual é a função de uma civilização?

Do ponto de vista cósmico, uma civilização, é um veículo essencional coletivo e o mundo um tanto quanto possível. As forças do caos são especificas para uma determinada época do ciclo de aprendizagem para um grupo de seres. Assim, uma civilização é um veículo de consciência coletiva, chegando ao longo de um eixo. Como sabeis, o polo inferior desse eixo termina pouco acima da vibração material. O polo superior do eixo está submerso no Pai. Este eixo, é o eixo crístico universal, é aquele corredor de fogo que une todos os planos entre si. Também as civilizações sejam elas de superfície, interterrenas, extra-planetárias, tem por núcleo e por essência este eixo, que lhes atravessa. Sem a participação deste eixo no núcleo da civilização, não é possível a existência de uma civilização, sem que essa participe do eixo crístico universal, pelo menos em grau mínimo, não existirá jamais civilização, seja em que forma for e em que nível for.

O veículo civilizacional é ciente ao longo do eixo crístico universal, levando a vibração média de uma humanidade, sendo os níveis ultrapassados iluminados enquanto atividade, estando a civilização aberta à energia que atrai, energia magnética que atrai do Alto. Todas as civilizações são em essências positivas e, é de sublimar que os conhecimentos de cada civilização optavam por uma grande cultura. Existe uma vibração interna e externa de um grande Instrutor espiritual. No momento uma civilização desenvolve também um estado de consciência de DNA que tem caracterizado a civilização cessante. DNA caracteriza a nova civilização, que nada terá a haver com aquilo que termina. Vocês observam este veículo que sai do eixo crístico universal, vocês vêm que toda a civilização por natureza é essencional e tudo aquilo que não funciona de forma essencional, não merece o nome civilização.

Civilizações são projetos de uma hierarquia e a sua fundação como já foi dito, está sempre um Instrutor ou Mestre e no vosso caso, tendes a civilização que lhes é chamado cristã, mas que depressa se perdeu da sua essência, poucos séculos depois do Mestre ter estado convosco, esta civilização perdeu-se na sua essência.

A função da civilização fundada pelo Mestre era a de levar a consciência coletiva da humanidade, à conexão, à integração no reino dos céus. Para isso, bastou simplesmente que Sua presença no planeta iniciar-se no mental coletivo dos níveis superiores da humanidade e na lei do amor. Lei que anunciada com a forma de, “amai-­vos uns aos outros como a vós mesmos”, deveria ter sido a alma, a essência, o sol interno da vossa civilização de superfície, nessa lei, como sabeis estava incluída a energia que deveria animar a civilização que iniciava. Não houve resposta à altura do apelo. Toda a civilização que está integrada a energia superior, toda a civilização que é ordem, deverá ter os seus níveis superiores abertos à luz e à graça, o eixo que a sua essência emana e que o próprio Universo constantemente derrama sobre tudo o que existe e que é inteligente. Por outro lado, a civilização que é ordem, deve ter os seus níveis inferiores selados a qualquer influência dos níveis de consciência que já foram ultrapassados. Este veículo, é um veículo definido na moral, fortalece os limites do veículo, tendo o amor em primeiro sentido e na meta, a razão ilumina suas articulações horizontais, a fé ilumina o alongo do eixo vertical e a doutrina externa compensou nos períodos da obscuridade cíclica.

A energia daquilo que tendes a chamar Espírito Santo, é o combustível de todo o processo civilizacional, contudo, como sabeis, os resultados estão à vista na vossa civilização de superfície, o racionalismo ocupa níveis, que não estavam destinados ao tecnicismo, ao consumo, ao pensamento binário e assim, em vez de ter iluminado as articulações horizontais da vossa civilização, acabou por obscurecer o excesso a vós, levando a civilização a um período de grande obscuridade e por outro lado, a progressiva utilização da energia da violência, do egoísmo, a progressiva materialização da consciência de alguns seres acabou por abrir brechas na base da civilização. Eu entendo, que essas diferenças já não correspondem de todo o estado do mal, um veiculo de consciência coletivo civilizacional, é nesse sentido que nós dizemos que esta civilização já foi em nível cósmico desativada.

A desativação de uma civilização, meus irmãos, é necessária quando ela não corresponde mais ao designo, a cada um de vós já responde. A desativação de uma civilização a sua essência é retirada, ficai sabendo que há muito tempo a essência da vossa civilização lhes foi retirada. Atualmente o que existe é um descaso civilizacional, é um fantasma que ainda se mantém movendo, devido as forças que o animam, sabeis também, que essas forças não estão conectadas com nada de superior. Assim a civilização em que a maior parte dos seres humanos está inserida, o veículo psíquico no qual a maior parte dos seres humanos está inserido cujos contornos são definidos pelo DNA, mas cujo acumulado comportamento retrógrado acabou por desvirtuar esta civilização que já foi desativada. Tomai consciência disso e não vos deixeis levar por aparências. É nesse sentido superior que temos permissão para vos comunicar que de fato, vocês já não pertencem à civilização terrestre de superfície. A vossa civilização de superfície perdeu o contato com a muito, com o eixo crístico universal, ela não mais corresponde aos desígnios do Todo.

Como sabeis, aproxima-se outra civilização, outra consciência, um novo código, uma nova vibração sutil. Coube-nos a nós, no princípio da vossa atual civilização, fornecer essência, energia para a construção desse veículo de consciência coletiva, entretanto coube a cada um de vós desenvolver esse núcleo inicial, essa semente em todas as suas potencialidades criativas. O Pai dá o terreno e as sementes, nós podemos transportar essas sementes até vós. A semente da civilização cessante era de altíssima vibração, nos referimos ao DNA que era o agente alimentador periférico, nos referimos à semente núcleo, à essência que surgiu nas vossas consciências tridimensionais com a fórmula, amai-vos uns aos outros como a vós mesmos.

Na desativação de uma civilização como dissemos” a essência é retirada, já há muito tempo que a vossa civilização foi desativada em termos cósmicos, ela já não tem em si, já não tem no núcleo, vida. O que está aí, hoje, são vestígios civilizacionaís. Atualmente, a qualidade que aí está, é uma forma sem vida, sem essência, caracteriza todas as atitudes políticas, econômicas, sociais, artísticas, religiosas, psicológicas da vossa civilização, é porque a vida já se retirou dela, que disse tantas vezes a palavra perdido dos lábios dos vossos irmãos que estão comprometidos com Ele. Muitos desses irmãos sentem-se perdidos e não fazem mais do que refletir o estado, o veículo coletivo a qual pertencem. Chegou o tempo de dissolução dos últimos laços que vos prendem a esse vestígios de civilização. Vós tendes de forma sutil e por vezes uma consciência civilizada completamente, laços ainda que vos prendem a atual civilização na maior parte desses laços emocionais e mentais, pois eles podem dificultar as tarefas que estão a ser iniciadas e as tarefas que estão a ser desenvolvidas.

Queridos irmãos, preparai, quando procuramos um meio para nos expressar aos níveis dos quais a vossa consciência está priorizada, procuramos afinal um condutor de energia, a energia que flui entre o céu e a terra, procurando seres que estejam dispostos a uma abertura ao Alto, que estejam dispostos a renunciar aos últimos laços que vos prendem aos vossos mecanismos cerebrais de uma forma compulsiva daquilo que é material no vosso planeta. Procuramos seres despidos na influência mais grosseira, que estejam conscientemente empenhados em diminuir ao mínimo os últimos elementos dessa influência grosseira e arcaica. Estais nascendo para a luz. Vocês que poderão utilizar a energia sabem que estão passando por um processo elétrico, etérico, atômico e sub-atômico. Vocês sabem que este processo está libertando para o procedimento da ação de massa sobre os seus veículos. Assim, eles passam de um padrão de manifestação terrestre para um padrão de manifestação solar. Com o amor, eles devem consciencializar também, que estão envolvidos numa proteção especial em relação àquilo que vem do mundo externo que já não corresponde à tarefa que lhes foi confiada. Vai ficar sem essa proteção especial, depende, contudo, da simplicidade com que essa proteção é assumida, da simplicidade interior e exterior, com que essa proteção especial que lhe é doado do Alto, está sendo assumida.

Esse muro que está sendo protegido é colaborar com o sentido produzido por essa proteção, evidenciar a atmosfera interior e a atmosfera do corpo físico do ser que essa proteção produz. Em todos vós o que estão devidamente sensibilizados para o caminho, começou já algum tempo, dentro da vossa cronologia linear, a ser construído um muro de proteção, esse muro é individual, está entre a relação que tem haver com o Pai a que cada um pertence. Muitos de vós além das auras que envolvem os vossos veículos físicos e que são eminentes a esses veículos e ainda há uma alimentação de luz que vem dos limites profundos de cada um. Muitos de vós contais já com uma membrana de proteção contra fluidos mais grosseiros, contra fluidos mais baixos do vosso sistema civilizacional de seus níveis tridimensionais, Assim, é no sentido interno energético que pode considerar como não fazendo parte da atual civilização. Vós, já estais em plena zona de mutação, a função da membrana que está sendo vivificada à vossa volta e a volta de cada um de vós, será entre outros o de aguentar os primeiros embates do emocionalmente coletivo de forma que os vossos veículos emocional e mental não sofram mais do que necessário, são como campanas de energia magnética. Vocês vêm isso?

Além de vos protegerem, contribuirão para a estabilização do vosso meio tridimensional e dos seres que se aproximarem de vós. Contudo, chegamos a uma fase no qual a dissolução, a desativação dos laços materiais emocionais e mentais, que vos prendem ao dever psíquico da civilização cessante, deve ser iniciada no amor. A vitalização definitiva estavel nesses campos de proteção individual, só estará completa quando vossas mentes polarizarem corretamente para além da civilização cessante. Até lá, podemos ir até um certo ponto, mas dificilmente poderemos selar esses campos de proteção, é difícil selares que vós estáveis e continuas ao vosso redor, mas por vossa iniciativa continuamente existem fluídos de desejo emocional de compromisso mental com a civilização cessante que preferem a membrana magnética que está a ser potencializada.

Agora, compreendem que laços mentais e emocionais, não contribuem para a criação desse campo de proteção. Esse campo de proteção não deve ser confundido com a membrana que em certos casos resistirão aos seres durante o resgate, durante a execução. Então toda a civilização que está assistindo à nova consciência planetária unificada está a ser construído um campo de mutação, está a ser feito com toda a entrega da nossa parte, com todo o amor. Reparai que a nova civilização já existe nos planos internos, ela está pronta enquanto o veículo de evolução coletiva, enquanto o código, o novo código que foi plasmado nos planos intermediários, em planos intermédios e as operações em curso, visam apenas a manifestação dessa nova civilização, apenas isso.

O campo de mutação no qual vós estais, estão nessa passagem entre os atuais níveis tridimensionais dos seres da nova consciência planetária unificada. Esse campo de mutação é o ponto, ele é em si um veículo também, é um veículo que abandona o que é velho e se dirige para aquilo que é novo, se dirige para aquilo que é puro.

Esse veículo de mutação coletivo, permite que os seres antecipem em si um novo homem pelo menos, até um certo grau de aproximação, aqueles que estão presos por laços mentais a esta civilização, são aqueles que se recombinem mentalmente no momento em que esta civilização passar pela sua desativação acelerada, mesmo que os seus vestígios se mantêm.

Como sabeis, é no plano mental que deveis reconstruir os laços com sistemas culturais, intelectuais, científicos. Esses laços devem ser agora dissolvidos meus irmãos, esses laços tem a sua função dentro de um ciclo, mas à medida que um ser se aproxima do seu núcleo à medida que o ser se aproxima do seu ponto interno, os laços devem ser desmanchados, desvitalizados, sois como pequenas barcas de luz, próximas a um grande navio sombrio magistral que se afunda, contudo existe ainda muitos cabos e muitos fios que vos prendem à massa obsoleta. Entretanto uma grande nave branca, azul e rosa, uma emanação do futuro eternidade já vos chama. Sois como pequenas barcas entre esse grande navio sombrio que se afunda e essa grande nave que vem do futuro eternidade a que vos chama.

Quando este navio sombrio for ao fundo, não é conveniente que as pequenas barcas das vossas consciências mantenham ativos o laço que as prendem ao navio. Por um lado não é conveniente pela energia que deverá ser utilizada, que terá que ser utilizada na supressão desses laços e não é conveniente pelo risco, por esses cabos, por esses laços nos momentos decisivos que entrarem em vós, correntes de medo e de pânico, substâncias arcaicas vindas do navio sombrio, vindos da civilização cessante.

O que está a ser proposto, tanto aos seres que estão condicionados com a espera, como os seres que são o canal, como todos os outros seres que estão despertos, os seres que neste momento estão em vias de se tornarem operadores perante a eclosão planetária e os seres que estão contribuindo para a formação dos irmãos que se aproximam dos seus níveis internos. O que vos está a ser pedido é muito simples. O ser com profunda consciência prática é possível realizar, desvitalizar os últimos laços que vos prendem às vossas civilizações de superfície, desvitaliza para que a nossa proteção sobre vós possa crescer e iluminar-se. É possível manter os laços ativos nos seus níveis meramente utilitários, relacionáveis com esses cabos psíquicos emocionais que vos prendem ao velho navio, à velha consciência, ao velho código de uma forma totalmente utilitária. Vocês já não pertencem à civilização de superfície, esta afirmação dever ser considerada dentro da maior alegria dentro da maior paz, dentro da melhor consciência de uma realização interior.

Quando vos dizemos, meus irmãos, que já não pertencem à civilização antiga, dizemos naturalmente que os irmãos pertencem já a uma outra civilização, bem mais avançada interiormente do que as médias espécies, pela civilização de superfície. Vocês vêm à atitude do apelo que lhes está a ser feito. Vocês vêm os milênios que estão sintetizados neste veículo de mutação que lhes coloca a caminho da nova civilização. Vocês vêm o tipo de conhecimento que vos está a ser doada. Vocês vêm a alegria contida neste processo. Sintam um vento novo, um vento limpo ,sintam a verdade límpida que vem do vento, sintam a direção que lhes está a ser comunicada. Todos vós, não vos iludais, não vos iludais, todos vós são como bebês da civilização, que um mister-clã se manifestará na superfície após a purificação. A desvitalização do laço mental que vos prendem no artificio psicológico que sentem já ter ultrapassado, é feito através de uma abertura ao centro cardíaco e no centro cósmico. É um tipo de energia que irá por si mesma desmobilizar o plano mental do ser e retirá-la por fora da focagem obsessiva, que a mantém com esse artifício psíquico que já sente ser obsoleto. A energia que vos leva a sentir que, o déficit psicológico está obsoleto, que o veículo da evolução coletiva da civilização de superfície está obsoleto, E a energia que vos libertará dele, é a mesma energia.

Como sabeis o vosso poder, como sabeis está onde estiver a vossa consciência, nós perguntamos: Quereis, queridos irmãos, dar o vosso poder, dar a vida que vos anima ao veículo coletivo tridimensional cuja essência já não habita? Continuais irmãos a dar a vida a um fantasma civilizacional? Compreendeis agora porque alguns dos vossos irmãos, dia a dia se queixam de estar física e emocionalmente esgotados. Isso acontece porque eles estão alimentando o veículo da evolução coletiva, já não tem essência, foi desativado. Então para se manter de pé ele absorve toda a energia dos seres e praticamente nada dá em troca e com certeza nada dá em troca de superior.

Trabalhai os últimos laços emocionais, os últimos laços mentais, é neste momento uma tarefa prioritária. Quando falo em desatar esses laços com pequenas barcas que estão a se fazer ao largo é uma tarefa prioritária. Eu não me refiro ao vosso panorama mental abstrato, que vos dá por vezes uma noção muito clara que não pertenceis a esta civilização, de que estais prontos para partir, de que estais prontos para vos encontrar com outras coisas. Eu estou falando em laços mentais e emocionais, estão pulsando no limiar da vossa consciência e alguns deles são inconscientes, deveis tomar a consciência deles, deveis tomar a consciência em alguns casos, estais menos desapegados do que a princípio pode parecer crer.

O que determina a distância que vos separa da atual civilização de superfície, não são as vossas leituras, não é o fato de fazeres reuniões espirituais, não é o fato de estares em contato com toda esta grande mutação planetária. O que determina a distância, é aquilo que realmente cada um de vós já soltou em relação à atual civilização. A transladação da matéria terrestre que envolve os limites são nos seus níveis internos, o trabalho é nosso. Contudo a desidentificação das correntes de forças que vos prendem ao século XX Terra, deve ser iniciada por vós. É possível para vós fazer isto, no equilíbrio e no amor, será feito no mesmo grau por todos os seres, mas deve ser iniciado.

O vosso próprio coração já vos comunica com toda a clareza, que certos laços já não lhes dizem respeito, que certas conexões foram já ultrapassadas por vós, sendo que não lhes é dado por isso conscientemente. Por outro lado, se mantiverdes uma relação de repulsa em relação à civilização cessante, isola uma possibilidade e estarás também por dando um laço com ela. Vocês vêm isto? Se não tiverdes uma relação compreensiva, uma relação de tensão, uma relação de repulsa baseada na personalidade com a civilização cessante, estareis também alimentando um laço para com ela, estareis também aos níveis da tolerância e do orgulho. Só com o amor esférico, englobado, abrangente, só com uma profunda tolerância, uma profunda compreensão, só quando estiverdes vibrando nas mais cristalinas das vossas atmosferas interiores, meus irmãos, podereis desatares esses laços que vos prendem, imparcialmente assistir a desativação definitiva da civilização de superfície.

Como o vosso cotidiano, procurardes o laço mental com a vossa civilização de superfície e não mais o encontrardes, ficai sabendo que a energia fez o seu trabalho, não há tempo nessa altura de contrariar o seu sentido superior como o vosso dia a dia procurardes o laço emocional e não mais encontrardes, ficai sabendo que a energia fez o seu trabalho. Isso é uma graça, tendes uma oportunidade para agradecer aos quais o interior virgem que irá se produzir em vós.

O espaço interior, está pronto a ser ocupado com coisas superiores, vosso compromisso não é para com grupos, vosso compromisso não é para com situações organizadas, o vosso compromisso é para com o estado de consciência é para com um nível de consciência, é esse nível que deveis ser fieis, esse nível de consciência é o vosso Mestre, é a vossa estrutura interna, é para com Ele, queridos irmãos, que tens um compromisso sagrado. Alguns de vós alimentais sistemas psicológicos e intelectuais que não resolvem mais nada porque estão desassociados do amor maior. Outros estão ligados a dimensões geográficas essenciais, tem apegos a determinadas zonas, em determinadas terras, cidades, vilas, estão apegados a memórias vivas, estão apegados a períodos de vida, mas o que há de bom, que não estejam em grau infinito, no Pai, o que há de bom, que não estejam apegados a períodos de vida, mas o que há de bom, que não estejam totalmente presente, o nível que ninguém pode conceber, o Pai. Outros de vós, estão ligados emocionalmente a pessoas, a personalidades, essas pessoas podem ter outros rumos no cosmos infinito, também é tempo de soltar esses laços para essa proteção aumentar. Outros estão mentalmente prisioneiros de idéias que a civilização atual gerou para essa eterna perpetuação e autodefesa com a situação tridímensional. Uma delas é o fato de não conceder a possibilidade de existência de uma coisa nova, totalmente independente e descontínua em relação ao curso linear básico que a vossa civilização tem percorrido, uma coisa nova.

Muitos seres entraram já no veículo coletivo de consciência, que conduz à nova consciência planetária unificada, mas ainda não se conscientizaram que estão perante uma ruptura total da síntese civilizacional, uma ruptura no qual, o que é novo não tem relação nem compromisso com o que é obsoleto. Olhai para zona em vós, que é belo, que é arcaica e olhai para zona em vós que é nova, que é pura. Uma deve libertar-se da outra. Os seres que vivem dentro dos laços mentais e emocionais, mantêm esta possibilidade em função de se definirem ainda como seres de zona de espaço, de tempo, Terra século XX. Isso devidamente transformados, eles deveriam considerar-se como seres cósmicos, livres em essência. Nós dizemos que sois livres, compreendeis até que ponto existem laços que vos prendem. Desativar os laços que vos prendem é criar espaço, em que a vossa consciência se eleva ao amor, ao puro, aquilo que está intocado. Largar laços é criar um vazio interior, um vazio coletivo. Todo o vazio que criardes no amor é altamente criativo, esse vazio é primordial que não vamos aqui definir, mas que é sumamente mais elevado que qualquer lugar que a vossa consciência constate.

O conhecimento superior, a sabedoria, não pode descer onde esse vazio não foi criado, onde esse vazio não foi alimentado, onde esse vazio não foi amado. A sabedoria não posa sobre velhos reservatórios de informação, seja ela material ou esotérica. A sabedoria não deixa entrar nesses períodos, nas zonas mentais cristalizadas, mais importante que saber, é a qualidade daquilo que sabe, é a qualidade interior com que cessa. Mais importante que o elemento ativo, sabedoria é a qualidade do elemento passivo da consciência do receptor, isto para a fase em que vos encontreis e essa qualidade, a qualidade da vossa consciência, só pode ser levada pela participação do vazio cósmico. O vazio cósmico só se instala quando laços emocionais, mentais, se estendem para serem depurados, sublimados até serem apenas luz, compreensão e silêncio. Quando vos pedimos para queimar com o vosso amor esses laços, nós estamos a pedir para largar uma civilização e cair num espaço absurdo e cair numa terra de ninguém, pelo contrário!

Largai uma civilização obsoleta para vos integrardes em outra coisa superior, essa outra coisa contém muitas civilizações, isso é possível, essa energia é movimento. Vocês vêm isto? As hierarquias neste momento, não estão assim tão ocupadas em comunicar sabedoria ou comunicar conhecimento, elas estão ocupadas em trabalhar a qualidade do cálice onde o conhecimento dessa sabedoria pode surgir, inclusive a sabedoria, resultado da síntese, sabedoria síntese, entre a qualidade do conhecimento e a qualidade do cálice. Purificai as vossas consciências, para que o conhecimento possa descer e a sabedoria possa surgir, atualmente é mais importante a qualidade do receptor e isso é o vosso trabalho.

Já sabeis que uma porcentagem das vossas partículas, já reagiram a este apelo, ao apelo de soltar laços para com o navio que se afunda. Essas partículas estão aos níveis da escala dos laços que ainda tendes para o outro astral das coisas na superfície do planeta. Há sempre elementos no ser e na maior parte dos seres em seguimentos que poderão estar presentes até o último minuto. Há sempre elementos no ser que tentarão impor uma outra visão do que está a passar, uma visão na qual a continuidade civilizacional é possível, estas partículas estão, podemos dizer viciadas na vibração tridimensional que a vossa civilização e o DNA lhes impôs, sabeis que esta outra visão e este outro panorama é superficial, é consciente esquerdo com o melhor de vós mesmos, com o mais simples de vossa inspiração, vocês têm todas as portas abertas, todos os sinais necessários, todos os mapas definidos.

Quanto menor espaço a civilização de superfície tiver tomado a consciência de um ser, mais nítido será para ele o tipo de chamamento a que ele está a ser sujeito de direção desse chamamento. Só o amor contém o poder e a qualidade síntese que transformará aquilo que durante milênios se manteve agregado, inerte.

Meus irmãos, para dissolver estes laços, para que estes laços possam ser dissolvidos num equilíbrio, ireis necessitar de utilizar a energia do perdão, a energia do perdão dissolve laços emocionais e mentais com todas as situações externas, a energia do perdão, é muito profunda. É uma energia saturada de amor, está saturada de abertura é uma energia de abertura, perdão e abertura, são como duas faces da mesma moeda, ireis também necessitar da energia da compreensão, a energia da compreensão irá ajudá-los assumir a remissão, sem renúncia não vai haver salvação.

Realizai a paz, realizai a paz. Sem o contato com os níveis superiores, a paz não se poderá instalar nos vossos veículos. O perdão e a paz, sempre estiveram associados, essas energias podem penetrar agora em cada um de vós e libertar-vos os últimos aspectos que vos possam a prender à civilização de superfície e isto de uma forma definitiva, se não, não estaríamos usando convosco a palavra libertação.

error: Este conteúdo é protegido!
Rolar para cima