Não estás a sós – Joanna de Ângelis

Chegas de coração angustiado, e podes constatar a alegria de todos, enquanto choras. Permaneces com a alma em aflição, e verificas o sorriso alheio, construindo felicidade como se zombasse da tua dor. Partes conduzindo a agonia, que se demora esmagando teu peito, enquanto a tagarelice de muitos atesta que somente tua alma está tomada pela paixão. Não te enganes, porém. A dor que te constringe não é apenas tua. A lágrima que escorre por tua face não é solitária no círculo em que permaneces. Choram também outros olhos e sofrem outros corações que, no entanto, são obrigados a sorrir. Eles, os alegres-infelizes, caminham a sós… Têm tudo a se transformar em nada e, no tumulto, não dispõem de amor nenhum…

Em ti, porém, o panorama é diferente. Há luz no teu céu escuro e esperança na tua má sorte. Sabes que todas as dores nasceram ontem, e conheces que hoje inicias a edificação; do ditoso porvir. Indaga daqueles que ontem sofreram; pergunta aos que experimentaram aflições nos dias que já se foram; inquire os corações solitários que caminhavam em abandono; sindica junto às viúvas crucificadas na saudade; sonda a alma das mães que fecharam os olhos dos filhinhos amados; interroga os seres que foram ultrajados e guardaram postura, qual o tributo com que a vida respondeu à sua agonia resignada, à sua inominável aflição coroada de esperança em nosso Pai, e eles responderão, concordes, e a uma só voz: “Lutar é sofrer. Sofrer é libertar-se!…”

Vê-los-ás, agora, ditosos e robustos, amadurecidos e confiantes, sorrindo, com os olhos fitos na Grande Luz que há dois mil anos rompe estradas claras do mundo. E compreenderás que Jesus está contigo, em silêncio, invisível e compassivo, mas não ausente e nem distante, ajudando-te na sublime escalada no rumo da Imortalidade, como teu companheiro, sem nunca te deixar a sós.

error: Este conteúdo é protegido!
Rolar para cima