Amai os vossos inimigos – Do livro Amai os inimigos

O Mestre ensinou e recomendou: Amai os vossos inimigos. É este um dos dizeres mais repetidos nas igrejas cristãs e talvez o menos praticado. Mais que ninguém, você será o beneficiado ao perdoar, pois, ao fazê-lo, livrará seu coração da mágoa, do ódio que maltrata e corrompe, da agonia que o faz sofrer. E como justificamos dizendo que sempre há motivos para haver desavenças e por elas ter desafetos. É pelo orgulho que ofendemos à toa, nos melindramos por qualquer olhar ou palavra de desprezo, exigências que nos diminuem etc. E, imprudentemente, achamos-nos muitas vezes no direito de revidar as ofensas, vingar as injúrias e, se for algo mais grave, passa-se a odiar e tornar-se, infelizmente, inimigo. Ódio com ódio cria uma força negativa, uma bola de neve em que um vinga-se do outro, levando ambos a sofrer.

Se odiar a quem me odeia, cria-se uma energia nociva, e, ao continuar a ser alimentada, só multiplica. Não só aumenta as trevas em que o sente, mas também as minhas, e estas se espalham ajustando-se às outras iguais, Inimigos estão nas trevas, longe da luz da compreensão e do perdão. Para mim, deve ser indiferente se a pessoa merece ser odiada; se a odeio, contribuo para tornar o mundo pior, com mais energias nocivas. Porque semelhantes se atraem, forças negativas procuram outras, como as positivas, aumentando-as. E, se quero a Terra melhor, devo contribuir para que seja de boas vibrações. E se odeio, me tornei pior, sou autor deste sentimento ruim e terei os efeitos deles em mim.

Ninguém pode atingir alguém sem atingir primeiro a si mesmo. O que entra no homem não o torna impuro, mas sim o que sai dele, isto sim, o faz impuro. E o ódio, rancor, sai de dentro do indivíduo. O mal que recebo de alguém, não me fez mal. E, antes de me atingir, prejudicar, faz mal a ele mesmo, pois fez dele malfeitor. E infeliz é o malfeitor, porque faz para si próprio. Agora, se alguém é meu inimigo, mas eu não o sou dele, é ele que está nas trevas, no erro. Ele me odeia, eu não a ele. Não estarei aumentando a má energia, mas também se não destruo as deles, não estarei fazendo nada por este indivíduo. E só o amor pode anular o ódio. Com a luz do amor atuo positivamente, construindo, iluminando as trevas e eliminando as energias destruidoras.

Anulando este sentimento inferior no outro, estarei substituindo as trevas pela luz e assim tomando melhor o mundo, a casa que o Pai Criador nos deu por moradia. Para fazer do inimigo, amigo, em nossa gramática, é tão fácil, é só cortar o prefixo negativo ‘in’. É só cortar o negativo em nós e não ficar neutro, adquirir o positivo, o sentimento da amizade e fazer do desafeto, amigo. Amar seus inimigos é um ensinamento de muita sabedoria para todos que querem cristificar, caminhar rumo ao progresso.

Ama a si mesmo e a todos como irmãos que somos.

Rolar para cima